domingo, 10 de novembro de 2013

RELIGIÃO MATA

A história ocidental está repleta de ocorridos de guerras envolvendo alegações de motivos religiosos.
Mas, será que religião só serve para produzir guerras e mortes?
Vejo umas pessoas postarem nas mídias sociais coisas do tipo: "Religião só serve para matar"; "Nunca se matou tanto quanto nas guerras provocadas por causa de religião"; ou "Religião serve de instrumento de governos para enganar e calar o povo..."; "Religião cega: quem segue religião é um alienado"; "O mundo seria melhor sem religião".
 Não vou chamá-las de ignorantes, mas pensar humanidade a partir do cristianismo é de uma preguiça de ler e estudar que saltam aos olhos!
Acaso o Império da China foi levantado por motivos religiosos? Nos Impérios assírio, persa, babilônico, egípcio, grego ou romano havia estandarte de religião? Os hunos, os godos ou os vikings pregavam religião?
Acaso as guerras não foram e são causadas por interesses de dominação territorial ou econômica (por recursos)?
Acaso os primeiros grupamentos humanos, os mais remotos - antropologicamente falando -, foram feitos sem menção a alguma divindade ou culto a seres metafísicos ou naturais?
Acaso nos séculos XI ou X a.C. se lutava por estandarte religioso? Ou será que a humanidade começou nas Cruzadas ou com Maomé ou na Reforma Protestante?
Já prestaram a atenção que quando se fala contra religião, basicamente fala-se contra as religiões abraâmicas? Que não se fala de matizes afro ou contra hinduísmo, xintoísmo, bramanismo ou masdaísmo?
Acaso não seria melhor que esses inimigos das religiões abraâmicas mudassem o discurso, ou será que têm preguiça de ler sobre as religiões não-abraâmicas?
As alegações de professores comunistas das universidades e seus fantoches nas escolas públicas - ambos monóticos culturais - que alegam alienação dos que creem e seguem uma religião, esquecem-se eles de ler outros livros que não da cultura socialista.
Esqueceram os professores que a cultura, a leitura, e textos dos que nos antecederam foram deixados e perpetuados por monges católicos que transcreveram muitas obras antiquíssimas?
Pode um comunista ou simpatizante acusar de alienação um religioso quando aquele mesmo considera tudo além ou contra Marx, Engels, Marcuse, Gramsci como "alienação"? Será que estes agora citados são "os gênios" ou o "suprassumo" da sabedoria humana?
Esquecem os críticos que a noção de Ética que temos foi elaborada por indivíduos religiosos?
Aos que creem e seguem uma religião aconselho a lerem, estudarem e a combaterem com argumentos e desmascararem esses bocados que só sabem falar mas não sabem ouvir. Dizem-se democráticos, mas se se critica a um deles e se for dito que o comunismo é um capitalismo com o chefe opressor com o nome de "salvador" ou de "democrático", logo são vorazes como um cruzado ou um skinhead.
Se se é democrático de fato, há de se respeitar os que não creem no socialismo.

+ + +

Eudes Inacio.
Catequista, Professor, Cristão.

Nenhum comentário: