domingo, 9 de outubro de 2011

Uma Caridade Perfeita. E existe outra?

Conversava com um colega que me falava que todas as segundas-feiras se ajuntava a outros com seus 10 automóveis para distribuírem lençóis, sopa, café, água e "cestas básicas" para os que vivem nas drogas. Falava vultosamente de quantidades e da coragem de sua benéfice.

Falei-lhe da dificuldade em acolher àqueles e àquelas que ficam nas ruas sob o jugo das drogas.

Confessou-me que sabia que muitos dos que eram (e estão sendo) ajudados, vendiam a cestas para o consumo de drogas; coisa igual faziam com os lençóis.

Adverti-o desta ação que não promovia a melhora daqueles e daquelas. 

Resumiu-se a dizer que: "eu faço a minha a parte..."

Está aí a questão:
Melhora em quê o ser humano, se você der sopa à noite e materias que ele possa vender e consumir drogas? Muitos daqueles, passam o dia praticando delitos e à noite são alimentados IRRESPONSAVELMENTE.

Irresponsavelmente porquê os que os alimentam não se preocupam se eles serão melhores, apenas "fazem sua parte". Como disse o colega: "... é o destino deles..."

Ajudar o próximo sem lhe dar o ESSENCIAL que é CRISTO, não o liberta, não o faz feliz. Antes, só satisfaz o ego de quem "faz a sua parte"!

Ações semelhantes fazem os que pertencem à seita do espiritismo. Sob pretexto de que os dependentes estão "predestinados" à situação escravizante da droga, apenas dão a eles "sobrevivência", não libertação, não vida.

Isso não é Caridade.

Nós só somos realmente livres em Cristo; só temos Vida em Cristo.

Não podemos nos falsear com essas "caridades" irresponsáveis: dar o pão sem Cristo, é manter sobrevivente o escravo para ser escravo.

Ações pastorais de socorro imediato devem manter a atenção para o Cristo. Toda a ação pastoral em que Cristo não é citado nem a Ele é remetida a ação, é "egolatria". O personagem não é Cristo, mas o(a) "caridoso(a)" que faz a sua parte.

Ensina-nos São Vicente de Paulo:

"Temos que atribuir a Deus qualquer bem que resulte de nossas ações, do contrário, deveríamos atribuir a nós todo o mal que ocorre na comunidade"

“Para as coisas de Deus, confio no meios humanos tanto como no diabo”.
 [frases colhidas em: http://misionesvicentinas.blogspot.com]

Explique-se, daí,...

A centralidade e unicidade de Cristo, pois somente d'Ele e n'Ele podemos dar frutos.

É falsa e ludibriante, digo até, maléfica a ação de "caridade" que não liberta, ou seja, que não tem Cristo.

Ações que prendem o homem à sua própria vontade, fazendo-o pensar que basta ele querer e assim será, torna este mesmo homem idólatra e algoz de si e de outros.

Este mundo não basta. Ao menos aos cristãos, não! Pois, se confiamos n'Aquele Chagado, devemos nos ater à Sua Promessa das moradas na Casa do Pai, que não é aqui, mas no Reino d'Ele que não é deste mundo.

Aos feridos pela "nóia", somente a "Metanoia" (palavra grega μετάνοια, que significa mudança de vida, conversão, arrependimento) pode gerar frutos de vida; em Cristo, Vida em abundância - a Vida eterna!

Ao mesmo Chagado, rogo minha "metanoia", minha conversão.

+ + +

Eudes Inacio, sJpVM.
servo de Jesus pela Virgem Maria.
 

Nenhum comentário: