segunda-feira, 11 de julho de 2011

TEOLOGIA DA "LIBERAÇÃO" E AS IDEIAS PASTORAIS

Caros amigos neste blog,

Cristo venceu, Aleluia!

Na última postagem vimos como as ideias da teologia da "liberação", digo, libertação, impregnam as mentes de cristãos mal catequizados e dos muito estudados também, que querem se enamorar com o espírito deste tempo.

Dentre estas ideias de aproximação do povo, há a que desvirtua a Liturgia - com máxima atenção ao destroçamento da Eucaristia. Há a ideia da abolição da hierarquia (que pode ser lida no artigo anterior), do não adorar a Eucaristia - sob pretexto que não adora comida. Vejamos o que "ensina" a "liturgista" Ione Buyst:
“Da teologia medieval herdamos a insistência da presença real de Jesus na Eucaristia. Era uma época em que o padre ficava de costas para o povo, fazia a oração eucarística em latim e em silêncio.”
"A eucaristia acabou sendo entendida como uma coisa sagrada, algo para se ver e adorar.”
"Não se pode ficar só olhando e adorando a hóstia..."
“Na prática, é difícil romper com séculos de devocionismo eucarístico e suas expressões características da missa. Quem sabe possamos aprofundar a nova teologia da eucaristia em pequenos grupos e comunidades, e aí encontrar uma maneira diferente de celebrar?” (A Missa – Memória de Jesus no Coração da Vida. São Paulo: Paulinas, 2004;p. 120-122)


Tem mais gente estudada falando coisas assim:
"O dogmatismo está muito presente ainda no que nossa pastoral tem de mais visível e sensível: a liturgia, com destaque para a eucaristia. A 'Overdose dogmática' fica patente a rigor e na intocabilidade das prescrições litúrgicas,..." (Pe. Nicolau João Bakker. A Pastoral em Novas Perspectivas (II): Cosmovisão Ecológica e Perspectivas Pastorais. Revista Vida Pastoral - julho/agosto 2011 - Ano 52 - n. 279. Paulus. p. 08)


Vemos que o interesse pela Liturgia e Eucaristia destes "inovadores" pastorais.

Dom Gueranger, Abade de Soslesme.
Vejamos agora o que disse  Dom Prosper Gueranger no livro Institutions Liturgiques (Tomo I), já em 1878:

CHAPITRE XIV : de l'hérésie antiliturgique et de la réforme protestante DU XVI° SIÈCLE, CONSIDÉRÉE DANS SES RAPPORTS AVEC LA LITURGIE.

[conferir em: http://www.abbaye-saint-benoit.ch/gueranger/institutions/volume01/volume0114.htm#_Toc126113301]

1) A primeira característica de heresia antilitúrgica é o ódio de tradição como expresso nas formas de culto divino.

2) Substitua as fórmulas de estilo eclesiásticas para leituras da Sagrada Escritura, é o segundo princípio da antilitúrgica seita.3) O terceiro princípio dos hereges da reforma da Liturgia, depois de ter expulso da igreja e as fórmulas têm proclamado a necessidade absoluta de usar apenas as palavras da Escritura no culto divino, e perceber que as Escrituras nem sempre desde que, como eles gostariam, os seus desenhos, consiste em fabricar e introduzir várias formas de perfídia cheio de pessoas que estão mais firmemente acorrentados ao erro e que todo o edifício da reforma será consolidada durante séculos profanos.4) Não se surpreenda que a contradição mostra que a heresia em suas obras, uma vez considerado o quarto princípio impostas pela sectários, a própria natureza do seu estado de rebelião, é a contradição constante com seus próprios princípios.5) Desde a reforma da liturgia foi realizada pelo sectários com o mesmo objetivo que a reforma do dogma, que é uma conseqüência, segue-se que, como os protestantes romperam com a unidade para crer pelo fim daqueles acima de ser forçado a remover todas as cerimônias de culto, todas as fórmulas que expressam os sagrados mistérios.6) A remoção de elementos do mistério na liturgia protestante foi, inevitavelmente, para produzir a extinção total desse espírito de oração que o catolicismo chamado unção.7) Como é nobre com Deus, a liturgia protestante não precisa da mediação das criaturas.8) Como a reforma litúrgica tem entre seus principais objectivos a abolição dos atos e fórmulas dos Mistérios Sagrados, segue-se necessariamente que seus autores tiveram de reivindicar o uso da língua vernácula no culto divino. Este é, portanto, um dos mais importantes para os sectários. Eles argumentam que a adoração não é uma coisa secreta, é necessário que o povo entender o que ela canta. O ódio da língua latina é inato nos corações dos inimigos de Roma ...9) Ao descascar a liturgia do mistério que os cortes para a razão, o protestantismo sabia o que era a conseqüência prática: a liberdade de fadiga e desconforto imposto ao práticas corporais liturgia papal.10) Como o protestantismo precisava de uma regra para distinguir entre essas instituições papistas que poderia ser mais hostil a seus princípios ...11) A heresia antilitúrgica, para resolver para sempre o império necessário para destruir, de fato e em princípio todos os sacerdócio no cristianismo, porque ele percebeu que onde há um altar com um sacerdote e um altar onde há sacrifício e, portanto, um cerimonial misterioso. Então, portanto, ser abolido como Sumo Pontífice, foi necessário para aniquilar o caráter do bispo de que vem a imposição de mãos místicas que perpetua a hierarquia sagrada.12) Finalmente, e este é o último estágio da barbárie, como o sacerdócio não existe mais desde a hierarquia está morto, o príncipe, a autoridade só é possível leigos, foi proclamado chefe da Religião..."

 + + +
Cristo, nossa instrução!

Eudes Inacio, sJpVM.

Nenhum comentário: