quarta-feira, 30 de março de 2011

"Neo"-Pentecostalismo e Homossexualismo - Uma enquete.

Caros companheiros de leitura, por gentileza, partilhem comigo esta reflexão e sua opinião sobre a relação entre o movimento "neo"-pentecostal e o liberalismo crescente dentro das denominações cristãs (dentro do cristianismo), não como essência, mas como liberalidade exacerbada.

Não quero fazer juízo de valor; se eu já o tivesse, não perguntaria a ninguém. 

Deixo alguns textos informativos:

“O pentecostalismo nasceu do desejo de reavivar o elã religiosodos evangélicos que, no início do século XX, nos Estados Unidose na Inglaterra, se separaram das Igrejas da Reforma, na crença dapróxima vinda de Cristo e da necessidade do batismo no Espírito Santo. Os pentecostais, no Brasil, são 75% dos protestantes, destacando-se a Assembléia de Deus, com cerca de 1.500.000 de adeptos.” (p. 586)

O movimento de renovação surgiu dentro do metodismo e das Igrejas Batistas, que, no século XVIII, através de John Wesley, quis renovar o episcopalismo ou anglicanismo e, no século XIX, surgiu, dentro do metodismo, um movimento de renovação, para o qual não bastava a conversão para a salvação, mas se fazia necessário o cristão passar por uma experiência religiosa profunda, denominada batismo no Espírito Santo. (p. 587)

“Os pentecostais criticam as Igrejas tradicionais, acusando-as de envolvidas com compromissos mundanos. Nas práticas religiosas, ocorre a comunicação direta com o Espírito Santo, o que gera êxtase espiritual, que leva os crentes a falar línguas estranhas como aconteceu aos apóstolos no Pentecostes. Seus líderes são escolhidos por suas qualidades, independentemente do nível de formação. Qualquer um, independentemente de sua posição hierárquica, pode fazer o que faziam os discípulos de Cristo: curar, profetizar... Nas reuniões, o clima é de relatos, orações e ritmado bater-palmas com cânticos. Dão importância às experiências religiosas e à conversão.” (p. 588)

“Os pentecostais priorizam o sentimento comunitário, a participação, o entusiasmo de massa, os cultos alegres e simples.” (p. 588)

“O movimento carismático, ou neopentecostal, ou de renovação carismática é um movimento contemporâneo, originário da Califórnia,em Los Angeles, em 1906.
1) Para uns, o marco inicial teria sido a experiência do “batismo no Espírito Santo”, ao Rev. Dennis Bennett, pároco da Igreja Episcopal de São Marcos, na cidade de Van Nuys, em 1959.
2) Para outros, teria surgido na Associação Internacional de Homensde Negócio para o Evangelho Pleno, na paróquia episcopal de São Lucas, em Seattle, na paróquia episcopal do Redentor, em Houston, Texas, e na Congregação pentecostal de Melodyland.” (p. 589)

“Os cultos de adoração e o entendimento da adoração são outro ponto discutível. Adoração é a submissão de toda a nossa natureza a Deus, é vivificação da consciência pela sua santidade; o sustento da mente com a verdade de Deus; a purificação da imaginação pela sua beleza; a abertura do coração pelo seu amor; a submissão da vontade ao seu propósito – tudo reunido em adoração que é a emoção mais desprendida de que é capaz a natureza humana. Adoração a Deus que se realiza pelo corpo, por isso as pentecostais e carismáticas envolvem-se corporalmente nas manifestações de adoração, o que para as históricas é rejeitado pela maioria, tolerado por poucos e ridicularizado por muitos, ou visto como mera teatralização.” (p. 597)

Revista Teocomunicação, Porto Alegre, v. 37, n. 158, p. 586-600, dez. 2007

*grifos são meus.


Postem seus comentários, por favor.

Nenhum comentário: