quarta-feira, 2 de março de 2011

CAPS: Uma porta aberta para quem quer voltar

CAPS.
Seu objetivo é oferecer atendimento à população, realizar o acompanhamento clínico e a reinserção social dos usuários pelo acesso ao trabalho, lazer, exercício dos direitos civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários.  
Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), entre todos os dispositivos de atenção à saúde mental, têm valor estratégico para a Reforma Psiquiátrica Brasileira. Com a criação desses centros, possibilita-se a organização de uma rede substitutiva ao Hospital Psiquiátrico no país. Os CAPS são serviços de saúde municipais, abertos, comunitários que oferecem atendimento diário.
É função dos CAPS:
- prestar atendimento clínico em regime de atenção diária, evitando as internações em hospitais psiquiátricos;
- acolher e atender as pessoas com transtornos mentais graves e persistentes, procurando preservar e fortalecer os laços sociais do usuário em seu território;
- promover a inserção social das pessoas com transtornos mentais por meio de ações intersetoriais;
- regular a porta de entrada da rede de assistência em saúde mental na sua área de atuação;
- dar suporte a atenção à saúde mental na rede básica;
- organizar a rede de atenção às pessoas com transtornos mentais nos municípios;
- articular estrategicamente a rede e a política de saúde mental num determinado território
- promover a reinserção social do indivíduo através do acesso ao trabalho, lazer, exercício dos direitos civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários.

SINAIS DE USO DE CRACK

São vários os tipos de danos causados pelo uso de crack. Além dos problemas respiratórios pela inspiração de partículas sólidas, sua ação estimulante leva à perda de apetite, falta de sono e agitação motora e, a dificuldade de ingestão de alimentos pode levar à desnutrição, desidratação e gastrite. Podem ser ainda observados sintomas físicos como rachadura nos lábios pela falta de ingestão de água e de salivação, cortes e queimaduras nos dedos das mãos e às vezes no nariz, provocados pelo ato de quebrar e acender a pedra, além de ficar o usuário mais exposto ao risco social e de doenças.

Estratégias de intervenção e cuidados da rede de saúde:  
  1. Avaliação interdisciplinar para cuidados clínicos (e psiquiátricos, se necessário)
  2. Construção de Projeto Terapêutico Individual, articulado inter e intrasetorialmente 
  3. Atenção básica (via ESF e NASF, com participação de profissionais de AD) 
  4. CAPSad – acolhimento nos níveis intensivo, semi-intensivo até não intensivo 
  5. Leitos em hospital geral 
  6. Consultórios de rua, casas de passagem 
  7. Estratégias de redução de danos 
  8. Articulação com outras Políticas Públicas: Ação Social, Educação, Trabalho, Justiça, Esporte, Direitos Humanos, Moradia.
 por portal.saude.gov.br

Um comentário:

Ministério da saúde disse...

Eudes,
Obrigado por divulgar as informações. Se você tiver interesse em se tornar parceiro das campanhas do Ministério da Saúde, envie email para comunicacao@saude.gov.br e solicite o material para publicar em seu blog.
Siga-nos no Twitter: www.twitter.com/minsaude
Obrigado,
Ministério da Saúde