quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

ENCHER OS BANCOS DAS IGREJAS

"(...) O que enche os bancos das igrejas? Jesus! Jesus pregado com plena fidelidade ao Evangelho e à fé da Igreja! O que enche os bancos das igrejas? Bispos, padres e leigos santos, religiosos que sejam religiosos, que tenham religião! O que enche os bancos das igrejas? Cristãos que acreditem no que creem, deixem de falar bobagens, desistam de namorar com o mundo, deixem de criticar a própria Igreja e cuidam de amar Jesus e, com humildade, santidade e coerência, preguem o Evangelho com todas as suas exigências! O que enche os bancos das igrejas? Mas, espere um momento! E encher banco de igreja deveria mesmo ser a nossa preocupação? Que encher banco de igreja que nada! Nossa preocupação deve ser a fidelidade ao Senhor, à fé apostólica, às exigências do Evangelho. O resto é secundário, é acréscimo, é conseqüência! (...)" [Dom Henrique Soares, Bispo Auxiliar de Aracaju. Coisas que fazem rir... Ou seria melhor chorar? em http://costa_hs.blog.uol.com.br]


+ + +


Caros amigos de leitura,

Alguns poderiam até dizer que o Apóstolo é tradiciolista (e assim o chamam alguns), outos diriam que ele é muito radical (há quem considere suas palavras assim), há ainda  quem o chame de  "moderninho" e progressista (como a Monfort o fez), mas a verdade é que Dom Henrique revela uma tendência de alguns "pensadores", que é antiga, de que precisamos "pintar" Jesus de "carinha legal" para atrair pessoas para serem cristãs católicas.
Daí, querer mudar a Missa, imitar às seitas protestantes, fazer "showsinhos", mudar a Liturgia, trocar as vestes dos sacerdotes, dizer que homossexualismo é admissível - ignorando o que diz a Sagrada Escritura, dizer que quem celebra é o povo, afirmar (copiando) teorias holísticas, criar uma nova teologia (se é que se pode dizer que é!) baseada em gnose... Tudo isso, sem consultar o Dono, o próprio Cristo... êh, mania humana!... Como me ensinou certa vez, meu irmão em Xto, Luciano: "(...) o mal é que temos é a mania usar as coisas de Deus sem perguntar pra Ele. (...)" Verdade!
Que teologia é essa? Posso estar enganado, e já peço correção se eu estiver errado, mas penso que toda forma de teologia que se diz precisar o movimento ou a ação de Deus, equivoca-se; talvez dizer que algo já realizado vem ou tem a ação de Deus, seja uma virtude da teologia. 
Afirmo isso baseado nas vezes em que o povo do Antigo Testamento se consolidou na Telogia da Retribuição - quem fizer que se manda, se dá bem com Deus -, mas aí viram que os que eles chamavam do mal, se darem bem sobre eles, que eram o povo escolhido.
Veio a Teologia da Libertação, por exemplo, essa é totalmente antropocêntrica: quanto mais "humana" é que o divino "vem"... virou o culto ao homem.
Ainda tem a Teologia da Prosperidade: se você dá muito, recebe muito... o Edir Macedo e sua seita Univer$al do reino de deus estão riquíssimos, com a conversinha de "tome posse", "quando deus quer é assim"...
Já na Teologia Neo-Pentecostal que "aprisionou" o Espírito Santo que agora só sopra onde se berra mais. E eles se acham "o novo".
E os sola-escriptura tipo dos Adventistas que tornou Deus num livro: basta você ler a Bíblia e pronto, tá salvo: todas as respostas estão na Bíblia - como num manual de receita ou de horóscopo. Palhaçada! Se, para salvar-se (isso mesmo, pois pensam que o homem salva-se) basta ler a Bíblia, bastava Jesus descer dos Céus e dizer que lêssemos a Bíblia e pronto, pra quê morrer na Cruz, se tudo tá no Livro?

Por isso, receio teologias "premonitivas" da Ação de Deus. Acredito que sirva a Teologia para mais levar o homem a Deus, justamente cada um quem é: Deus é Deus, o homem, por mais amado que seja, é criatura. Nossa intenção de "prever" Deus, nos levou ao longo da história, desde nossos irmãos do primeiro chamado - os hebreus, às idolatrias.

Prefiro que quando for necessário falar de Deus, utilizemos o conselho de Santo Agostinho: "No essencial, a unidade; na dúvida, a liberdade; em tudo, a Caridade." E, quando os saberes teológicos forem "muito superiores" e os egos estufados, usemos da humildade.

"Quando tiramos os olhos da Cruz de Cristo, começamos o processo de idolatria"

PARA MEDITAR:
- clique para ouvir - 


Per cru-cem et passionem tuam, / libera nos Domine, libera nos Domine, Domine. /
Per cru-cem et passionem tuam, / libera nos Domine, libera nos Domine, Domine. /
Per sanctam ressurectionem tuam (Partitura)

Agradecimento à fonte: www.taize.fr
Eudes Inacio, sJpVM
servo de Jesus pela Virgem Maria

Nenhum comentário: