quinta-feira, 16 de setembro de 2010

VOTO CRISTÃO

Caros irmãos e irmãs,

Cuidemos por nos preparar para enfrentar o poder deste mundo que anseia por nos tragar a Igreja, a Cristo e a Deus. Repito: cuidemo-nos!

Há intenções do inimigo nestas eleições.

Perseverem no Amor, na Oração e na Verdade, pois se nos calarmos ou nos omitirmos, estaremos compactuando com o Mal.

Vejam o que alguns de nossos pastores nos têm alertado:

{De Dom Luiz Gozaga Bergonzini, Bispo de Guarulhos}

"[(...)nós recomendávamos aos verdadeiros cristãos e católicos a não votarem em todo e qualquer partido e candidato que fossem contrários aos princípios cristãos e católicos, mormente aqueles que dizem respeito à lei Natural que é lei de Deus positiva.

Acrescentávamos que não deviam dar o seu voto à Sra. Dilma Rousseff, pois o partido a que a mesma pertence, o PT, é francamente favorável à liberação total do aborto. Senão, vejamos:


01- Aos 11 de abril de 2005, o governo Lula comprometeu-se a legalizar o aborto no Brasil, assinando o Segundo Relatório do Brasil sobre o Tratado de Direitos Civis e Políticos, apresentado ao Comitê de Direitos Humanos da ONU (nº 45) e, em agosto do mesmo ano, entregou ao Comitê da ONU para a eliminação de todas as formas de descriminalização contra mulher (CEDAW), documento no qual reconhece o aborto como Direito Humano da Mulher.


02- Em setembro de 2007, no seu IIIº Congresso Nacional, o PT assumiu a “descriminalização do aborto e a regulamentação do atendimento de todos os casos no serviço público, como programa de partido. E no dia 20 de fevereiro de 2010, no seu IVº Congresso Nacional, o PT manifestou “apoio incondicional” ao 3º Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3) editado pelo Presidente Lula, no final de 2009. O programa inclui entre outros temas, a defesa da descriminalização do aborto.


03 - O PT puniu os deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso por se recusarem a assinar o PL (projeto de lei) que tornava livre a prática do aborto...


04 - Mais recentemente, em 16 de julho de 2010 (no mês passado!!!), a Ministra Nilceia Freire, na linha da política do Senhor Presidente da República, propôs a liberação total do aborto em toda América Latina através do “Consenso de Brasília”.


05 -Chamam a nossa atenção as propostas de governo da candidata à Presidência, que alteram a linguagem mas não alteram o conteúdo. Já apresentou três propostas de Governo, sendo que a segunda “maquia” a primeira, e a terceira “maquia” a segunda retirando tudo que pudesse deixar “transparecer” os objetivos de liberar o aborto, para não “prejudicar” sua candidatura. Há rumores de que, no próximo mês será anunciada uma “quarta” proposta...


06 - Para evitar desgastes na campanha de sua candidata, o Sr. Presidente “engaveta decisões sobre temas polêmicos” (Cf. Estado de São Paulo – 06/08/2010 – A7). Contrariamente a todos estes “ajustes” que tentam mascarar a verdade, o Evangelho nos manda: “ O seu Sim, seja Sim. O seu Não, seja Não”.(MT 5,37). Sem subterfúgios, sem máscaras, para não esconder a verdade...


07 –Sendo coerente com nossa profissão de Fé (o que, é evidente, não ocorre nesses “Planos de Governo”), reafirmamos tudo quanto já dissemos. Não temos receio de reafirmar, assinar e confirmar tudo quanto temos escrito. Não precisamos de “reformulações”...


08 - Apesar de 70% dos brasileiros e cristãos terem se manifestado contra a descriminalização do aborto, em pesquisa CNT/Sensus do início deste ano, os delegados do PT chegaram ao entendimento de que o partido deve dar “apoio incondicional ao programa PNDH-3 por considerar que ele é “fruto de intenso processo de participação social”. Ou seja, o PT está levando o país na contra mão da democracia reconquistada há pouco e com fadiga.


09 - Houve quem nos criticasse por termos tomado essa atitude, alegando que não tínhamos o direito de nos “intrometer” na política. A esses queremos lembrar que, num país democrático, como cidadão temos o direito de nos manifestar, a favor ou contra as pretensões de políticos.

10 - Como Bispo, temos a obrigação de alertar os fiéis para que escolham bem os partidos, os candidatos e suas propostas, para não votarem naqueles que sejam contra as Sagradas Escrituras, em especial em relação à vida: “Não Matarás” (Ex. 20,13; Dt. 5,17; Mt. 5,21).


11 – Agora é a hora da defesa da vida. Não podemos nos omitir. Repetindo Dom Henrique Soares, Bispo Auxiliar da Diocese de Aracaju: “É nosso dever de cristãos e de cidadãos procurar votar de modo consciente e esclarecido, pensando unicamente no bem comum...afinal, um voto pode nos mandar para o inferno: aqui, por quatro anos e, após a morte, por toda a eternidade!”]"

[site: http://www.diocesedeguarulhos.org.br/miolo.asp?fs=menu&seq=705&gid=10]

+ + +

NOTA DA COMISSÃO EPISCOPAL REPRESENTATIVA DO CONSELHO EPISCOPAL REGIONAL SUL 1 – CNBB



A Presidência e a Comissão Representativa dos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB, em sua Reunião ordinária, tendo já dado orientações e critérios claros para “VOTAR BEM”, acolhem e recomendam a ampla difusão do “APELO A TODOS OS BRASILEIROS E BRASILEIRAS” elaborado pela Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 que pode ser encontrado no seguinte endereço eletrônico “www.cnbbsul1.org.br”.

São Paulo, 26 de Agosto de 2010.

Dom Nelson Westrupp, scj
Presidente do CONSER-SUL 1

Dom Benedito Beni dos Santos
Vice-presidente do CONSER-SUL 1

Dom Airton José dos Santos
Secretário Geral do CONSER SUL 1

APELO A TODOS OS BRASILEIROS E BRASILEIRAS

Nós, participantes do 2º Encontro das Comissões Diocesanas em Defesa da Vida (CDDVs), organizado pela Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB e realizado em S. André no dia 03 de julho de 2010,


- considerando que, em abril de 2005, no IIº Relatório do Brasil sobre o Tratado de Direitos Civis e Políticos, apresentado ao Comitê de Direitos Humanos da ONU (nº 45) o atual governo comprometeu-se a legalizar o aborto,

- considerando que, em agosto de 2005, o atual governo entregou ao Comitê da ONU para a Eliminação de todas as Formas de Descriminalização contra a Mulher (CEDAW) documento no qual reconhece o aborto como Direito Humano da Mulher,

- considerando que, em setembro de 2005, através da Secretaria Especial de Polítíca das Mulheres, o atual governo apresentou ao Congresso um substitutivo do PL 1135/91, como resultado do trabalho da Comissão Tripartite, no qual é proposta a descriminalização do aborto até o nono mês de gravidez e por qualquer motivo, pois com a eliminação de todos os artigos do Código Penal, que o criminalizam, o aborto, em todos os casos, deixaria de ser crime,

- considerando que, em setembro de 2006, no plano de governo do 2º mandato do atual Presidente, ele reafirma, embora com linguagem velada, o compromisso de legalizar o aborto,

- considerando que, em setembro de 2007, no seu IIIº Congreso, o PT assumiu a descriminalização do aborto e o atendimento de todos os casos no serviço público como programa de partido, sendo o primeiro partido no Brasil a assumir este programa,
- considerando que, em setembro de 2009, o PT puniu os dois deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso por serem contrários à legalização do aborto,

- considerando como, com todas estas decisões a favor do aborto, o PT e o atual governo tornaram-se ativos colaboradores do Imperialismo Demográfico que está sendo imposto em nível mundial por Fundações Internacionais, as quais, sob o falacioso pretexto da defesa dos direitos reprodutivos e sexuais da mulher, e usando o falso rótulo de “aborto - problema de saúde pública”, estão implantando o controle demográfico mundial como moderna estratégia do capitalismo internacional,

- considerando que, em fevereiro de 2010, o IVº Congresso Nacional do PT manifestou apoio incondicional ao 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH3), decreto nª 7.037/09 de 21 de dezembro de 2009, assinado pelo atual Presidente e pela ministra da Casa Civil, no qual se reafirmou a descriminalização do aborto, dando assim continuidade e levando às últimas consequências esta política antinatalista de controle populacional, desumana, antisocial e contrária ao verdadeiro progresso do nosso País,

- considerando que este mesmo Congresso aclamou a própria ministra da Casa Civil como candidata oficial do Partido dos Trabalhadores para a Presidência da República,

- considerando enfim que, em junho de 2010, para impedir a investigação das origens do financiamento por parte de organizações internacionais para a legalização e a promoção do aborto no Brasil, o PT e as lideranças partidárias da base aliada boicotaram a criação da CPI do aborto que investigaria o assunto,

RECOMENDAMOS encarecidamente a todos os cidadãos e cidadãs brasileiros e brasileiras, em consonância com o art. 5º da Constituição Federal, que defende a inviolabilidade da vida humana e, conforme o Pacto de S. José da Costa Rica, desde a concepção, independentemente de sua convicções ideológicas ou religiosas, que, nas próximas eleições, deem seu voto somente a candidatos ou candidatas e partidos contrários à descriminalizacão do aborto.

Convidamos, outrossim, a todos para lerem o documento “Votar Bem” aprovado pela 73ª Assembléia dos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB, reunidos em Aparecida no dia 29 de junho de 2010 e verificarem as provas do que acima foi exposto no texto “A Contextualização da Defesa da Vida no Brasil” (http://www.cnbbsul1.org.br/arquivos/defesavidabrasil.pdf), elaborado pelas Comissões em Defesa da Vida das Dioceses de Guarulhos e Taubaté, ligadas à Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB, ambos disponíveis no site desse mesmo Regional.

COMISSÃO EM DEFESA DA VIDA DO REGIONAL SUL 1 DA CNBB

[site: http://www.cnbbsul1.org.br/index.php?link=news/read.php&id=5742]

+ + +

{Por Dom Henrique Soares da Costa, Bispo Auxiliar de Aracaju}

["(...)Há quatro critérios que ajudam muito a desmascarar o candidato. Desmascarar porque tira a máscara das palavras ilusórias e das imagens maquiadas. Ei-los:

1. A primeira coisa e a mais importante a ser observada é o passado do candidato. Ele é um candidato novo? Pois bem: de onde ele vem? Já tem algum trabalho realizado em prol da comunidade, participa de algum movimento, alguma entidade que trabalhe para o bem comum? Na sua profissão, como se comportou: foi competente, responsável, honesto? Seus conhecidos e colegas, o que dizem dele? Se ele já ocupou outros cargos, é ainda mais fácil avaliar o passado: ele honrou os mandatos anteriores? Como se portou? Saiu com fama de honesto ou de corrupto? Enriqueceu no exercício do seu mandato? O que ele fez de concreto: que programas em benefício do povo? Promoveu concursos públicos ou, ao invés, facilitou o empreguismo, que degenera os cofres públicos e traz a miséria para todos? Cumpriu durante o mandato as promessas feitas durante a campanha?

2. Um outro critério importantíssimo: quem são os componentes do grupo político daquele candidato. Aqui, vale o provérbio: “Dize-me com quem andas e dir-te-ei quem és”... Seus companheiros políticos são pessoas honradas, políticos que gozam de credibilidade, partidos que têm reais compromissos com o bem comum? Ou, ao invés, o grupo político parece mais uma corja? Afinal, recordemos que ninguém governa sozinho: meu grupo político fará parte do meu modo de exercer meu mandato!

3. Mais um critério importante: o modo que o candidato tem de fazer campanha. Está gastando demais? Se gasta muito, irá, depois, roubar os cofres públicos para repor o dinheiro esbanjado! Está comprando votos, dando dinheiro, prometendo empregos? Então, é corrupto já na campanha; imaginem quando chegar ao poder! Usa o nome de Deus ou da Igreja? Usa a fé do povo? Anda com a Bíblia debaixo do braço? Tudo isso, além de profanar o nome de Deus, de sua Igreja e de seus santos, é pura demagogia! É prova de leviandade do candidato – ele não merece o voto de uma pessoa séria e inteligente e que ame a Deus!

4. Quando ele promete, explica direitinho de onde vai tirar o dinheiro para cumprir as promessas? Porque se não explica, não vai cumprir nada: está prometendo o que não pode cumprir!

Então, não é impossível fazer uma boa avaliação dos candidatos. Basta que a gente procure realmente refletir com responsabilidade. Para um cristão realmente comprometido com o Evangelho, esta atitude é indispensável, pois a felicidade de muitos – sobretudo dos mais fracos – depende do meu voto. Ainda para um católico verdadeiro e consciente de sua fé e responsabilidade cidadã, é imoral e pecaminoso votar num candidato ao Senado ou à Câmara Federal que apóie a lei que permite o aborto ou a que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Do meu voto e do seu voto dependem também o inferno de toda uma sociedade (basta recordar um pouquinho os vários exemplos da nossa história).
E que ninguém, que tenha um grama de inteligência, diga que todos os políticos são iguais. Isso é desculpa esfarrapada para votar no pior! Há políticos de todos os modos, de todas as práticas e de todo o tipo de comportamento. É nosso dever de cristãos e de cidadãos procurar votar de modo consciente e esclarecido, pensando unicamente no bem comum... afinal, um voto pode nos mandar para o inferno: aqui, por quatro anos e, após a morte, por toda a eternidade!"]

[Site: http://pv.arquidiocesedearacaju.org/default.asp?pg=artigo&idArtigo=86]

+ + +

{Que nos diz a CNBB}


["(...)Por isso, incentivamos a que todos participem e expressem, através do voto ético, esclarecido e consciente, a sua cidadania nas próximas eleições, superando possíveis desencantos com a política, procurando eleger pessoas comprometidas com o respeito incondicional à vida, à família, à liberdade religiosa e à dignidade humana. Em particular, encorajamos os leigos e as leigas da nossa Igreja a que assumam ativamente seu papel de cidadãos colaborando na construção de um País melhor para todos.

Confiando na intercessão de Nossa Senhora Aparecida, invocamos as bênçãos de Deus para todo o Povo Brasileiro”."]

Brasília, 16 de setembro de 2010

P. nº 0762/10

Dom Geraldo Lyrio Rocha
Arcebispo de Mariana – MG
Presidente da CNBB

[site: http://www.cnbb.org.br/site/notas-e-declaracoes/4675-nota-da-cnbb-na-proximidade-das-eleicoes]

+ + +

Irmãos, como posso me dizer cristão, membro de pastoral e catequista se não abro aos olhos das ovelhas de Cristo que, como eu, buscam o Reino de Deus?

Não tenho medo de me enganar, pois sei em quem deposito toda minha Esperança.

Eudes Inacio, sJpVM


Nenhum comentário: