sábado, 25 de setembro de 2010

CÂNCER DA CATEQUISTA

Irmãos e irmãs,

Paz e Bem!

Eis um conto:

- Está com câncer ela?
- É!
- Que adiantou passar a vida na Igreja?... Tudo dela era pra Igreja.
- Num é! E tanto que ela falava em Jesus...
- Se achava missionária ela. (ar de riso)
- E cadê que ficou boa... Pegou foi uma doença miserável dessa.
- E ainda tem mais, se ela vivesse o que ela estava dizendo, por que teve logo uma doença dessa...
- Olhe, sei não, mas essas pessoas que vive com Jesus pra lá, Jesus pra cá são tudo encapuzado.
- Olha, mulher, num é eu querendo falar não, mas pra mim isso é castigo... Deus que me livre de uma doença como essa!
- Oxe! Tudo aqui ela se metia: era catequista; já foi até sacristã outro dia quando dona Inês ficou doente... Em tudo na paróquia ela se metia...
- Só queria ser a santa...

(risos)

Enquanto essa conversa acima acontecia, a tal catequista cancerosa estava dando catequese a uns pré-adolescentes:

- Professora, é verdade que a senhora tá com câncer, é? (perguntou uma catequizanda)
- É! (respondeu a catequista cancerosa)
- Mas, por que a senhora pegou essa doença?
- Por causa de todos que conheço, inclusive por vocês.
- Oxe, professora, conversa! Que é que tem a ver a gente e as pessoas que a senhora conhece? Foi a gente que fez isso?
- Olhem todos vocês! Lembram da passagem bíblica em que Jesus foi preso e morto?
- Lembro! (em coro, respondeu a turma de catequese)
- Lembram que, essa passagem nós chamamos de Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo?
- Lembramos!!!!!
- Olhem só, meus amores, naquele dia, enquanto Jesus estava apanhando, os amigos dEle se esconderam e fugiram. Enquanto Jesus estava com as costas feridas por carregar a Cruz, as pessoas riam dele e alguns até cuspiam nEle. Quando martelaram pregos nas mãos dEle, zombavam dEle e ninguém ajudou Ele. Com Ele na Cruz, uns diziam tipo assim: né amigo de Deus, por que não se cura? Num era tão bonzinho, cadê que Deus veio ajudar Ele?... Cada um que tirasse sarro da cara de Jesus! E tinha ainda os que diziam: - bem feito!...
- Foi professora?
- Foi!
- Mas o que tem a ver com a doença da senhora?
- A Paixão de Cristo tem uma grande lição pra gente. (falou sorrindo). É que minha doença faz com que eu prove meu amor pelo Senhor todo dia, e só nEle eu me confie. E para vocês e aos que me conhecem devo ser exemplo e ir até o fim, sem reclamar, mas louvar a Deus pela oportunidade de me converter enquanto todos que me veem esperam um testemunho de Fé.
- Como assim, professora?
- Tudo, meu amor, que temos na vida é para nossa melhora... Eu to dodoi, mas nunca me senti só, sabia? Todos os dias sinto a presença do Senhor comigo...

* * *
Tiremos conclusões desse conto.

+ + +
Eudes Inacio, sJpVM
servo de Jesus pela Virgem Maria.

Nenhum comentário: