quarta-feira, 29 de setembro de 2010

DILMA PERDERÁ A ELEIÇÃO.

Caros irmãos e irmãs,

O título acima é a expressão de um desejo (o meu, claro).

Não duvido que, se aprouver ao Senhor, a Dilma e todos que tramam contra a vida serão derrotados nessas eleições.

Fico indignado que num país de maioria cristã (católicos e evangélicos), alguém com ideias contrárias à vida e à Lei de Deus seja eleita justamente por cristãos.

Até quando vamos ficar votando em inimigos da Fé? Inimigos da vida.

Cristão não deve votar em candidato corrupto nem em abortista nem em sacrílegos.

Ponto!

Aconteça seja lá o que for, EU ACREDITO QUE DILMA SERÁ DERROTADA para saber com quem ela mexeu: com os cristãos!

sábado, 25 de setembro de 2010

INTELIGÊNCIA E EGOLATRIA

Deparei-me numa sala da universidade com uma conversa muito instigada por parte dos dois professores e um aluno que lá se encontrava.

Falavam sobre Deus, criação, civilizações, Jesus, crenças, religiões e a Igreja.

Ouvi sobre a inteligência dos sumérios; os maias e seu calendário...

Eu ouvia atentamente a fala de cada um deles. Nas falas saíram "afirmações" que Jesus foi pra Índia, que esteve na Cashmira; que Jesus foi marido de Maria Madalena e teve filhos e que Seu corpo está enterrado na Cashmira. Que a conduta de Jesus só se explica pelas ações dos vedas (hindus), pois não eram ações comuns de judeus...

Eu olhava cada um deles e me preparava ferozmente como um "romeiro-apologeta" para dizer a cada um, quando um dos professores falou de um conto(?) sobre o Buda e um discípulo chamado Putra(?) [confesso que sou leigo sobre budismo] ... que este tal Putra perguntou ao seu mestre Buda por que não ensinava sobre se valia a pena ou não acreditar, se existia uma outra margem e por que não o levava logo para lá e por que ele não falava das páginas difíceis da vida espiritual... Daí o Buda pegou um punhado de folhas no chão e perguntou se havia mais folhas na sua mão ou na floresta e o Putra respondeu o óbvio, daí o Buda falou que ele só ensinava o necessário para o homem, ou seja, aquilo em sua mão e que a floresta é perda de tempo.

O professor arrematou dizendo que essas preocupações são dos ocidentais, pois para os orientais é tudo muito simples...

Eu confesso que tive pena. E comecei a rezar dentro de mim dizendo ao Senhor como eles são doidos pra conhecer a Verdade, mas A ignoram com suas inteligências cartesianas... querem tanto entender o que creem que se concentram em si mesmos, no que sabem: um tipo de "egolatria".

Os três são muito inteligentes, mas ególatras. Só rezando por cada um deles!

Fiquei abismado com o que me suscitou o Espírito naquela conversa... Porque eu ía falar duro contra cada um deles e o Espírito me fez calar e ouvir, ouvir e depois, ter pena. Vi o outro lado deles: eles querem Deus, mas impõem condições de como Deus deve se mostrar a eles. Assim, vai demorar.

Falam da Igreja e dos dogmas, mas concordam que há temas que não devem ser questionados no budismo.

* * *
Nosso pensamento ocidental precisa ir ad fontes!, na Fé daqueles dos quais somos geração posterior: refiro-me aos Padres da Igreja.

+ + +
Eudes Inacio, sJpVM

CÂNCER DA CATEQUISTA

Irmãos e irmãs,

Paz e Bem!

Eis um conto:

- Está com câncer ela?
- É!
- Que adiantou passar a vida na Igreja?... Tudo dela era pra Igreja.
- Num é! E tanto que ela falava em Jesus...
- Se achava missionária ela. (ar de riso)
- E cadê que ficou boa... Pegou foi uma doença miserável dessa.
- E ainda tem mais, se ela vivesse o que ela estava dizendo, por que teve logo uma doença dessa...
- Olhe, sei não, mas essas pessoas que vive com Jesus pra lá, Jesus pra cá são tudo encapuzado.
- Olha, mulher, num é eu querendo falar não, mas pra mim isso é castigo... Deus que me livre de uma doença como essa!
- Oxe! Tudo aqui ela se metia: era catequista; já foi até sacristã outro dia quando dona Inês ficou doente... Em tudo na paróquia ela se metia...
- Só queria ser a santa...

(risos)

Enquanto essa conversa acima acontecia, a tal catequista cancerosa estava dando catequese a uns pré-adolescentes:

- Professora, é verdade que a senhora tá com câncer, é? (perguntou uma catequizanda)
- É! (respondeu a catequista cancerosa)
- Mas, por que a senhora pegou essa doença?
- Por causa de todos que conheço, inclusive por vocês.
- Oxe, professora, conversa! Que é que tem a ver a gente e as pessoas que a senhora conhece? Foi a gente que fez isso?
- Olhem todos vocês! Lembram da passagem bíblica em que Jesus foi preso e morto?
- Lembro! (em coro, respondeu a turma de catequese)
- Lembram que, essa passagem nós chamamos de Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo?
- Lembramos!!!!!
- Olhem só, meus amores, naquele dia, enquanto Jesus estava apanhando, os amigos dEle se esconderam e fugiram. Enquanto Jesus estava com as costas feridas por carregar a Cruz, as pessoas riam dele e alguns até cuspiam nEle. Quando martelaram pregos nas mãos dEle, zombavam dEle e ninguém ajudou Ele. Com Ele na Cruz, uns diziam tipo assim: né amigo de Deus, por que não se cura? Num era tão bonzinho, cadê que Deus veio ajudar Ele?... Cada um que tirasse sarro da cara de Jesus! E tinha ainda os que diziam: - bem feito!...
- Foi professora?
- Foi!
- Mas o que tem a ver com a doença da senhora?
- A Paixão de Cristo tem uma grande lição pra gente. (falou sorrindo). É que minha doença faz com que eu prove meu amor pelo Senhor todo dia, e só nEle eu me confie. E para vocês e aos que me conhecem devo ser exemplo e ir até o fim, sem reclamar, mas louvar a Deus pela oportunidade de me converter enquanto todos que me veem esperam um testemunho de Fé.
- Como assim, professora?
- Tudo, meu amor, que temos na vida é para nossa melhora... Eu to dodoi, mas nunca me senti só, sabia? Todos os dias sinto a presença do Senhor comigo...

* * *
Tiremos conclusões desse conto.

+ + +
Eudes Inacio, sJpVM
servo de Jesus pela Virgem Maria.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

A REALIDADE QUE VIVEMOS

Caros irmãos e irmãs,

Visitando o site católico Zenit (http://www.zenit.org/index.php?l=portuguese), li um texto sobre Chesterton. Aí procurei o site de sua associação.

Eis o trecho que achei interessante deste homem que falava em seu texto "Por que sou um católico" em 1926.

"Por exemplo, devemos ter um acordo final, que só na truísmo da fraternidade humana, que vai resistir a alguma reação da brutalidade humana. Nada é mais provável agora do que a corrupção do governo representativo vai levar à quebra rico solta completamente, e atropelando todas as tradições de igualdade com o mero orgulho pagão. Devemos ter o truísmo em parte reconhecido como verdadeiro. Devemos evitar mera reação ea repetição sombria dos erros antigos."

(Chesterton, G. K. Why Am I a Catholic.
Twelve Modern Apostles and Their Creeds

(1926){tradução do Google})


[Site: http://www.chesterton.org/gkc/theologian/whycatholic.htm]

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

VOTO CRISTÃO

Caros irmãos e irmãs,

Cuidemos por nos preparar para enfrentar o poder deste mundo que anseia por nos tragar a Igreja, a Cristo e a Deus. Repito: cuidemo-nos!

Há intenções do inimigo nestas eleições.

Perseverem no Amor, na Oração e na Verdade, pois se nos calarmos ou nos omitirmos, estaremos compactuando com o Mal.

Vejam o que alguns de nossos pastores nos têm alertado:

{De Dom Luiz Gozaga Bergonzini, Bispo de Guarulhos}

"[(...)nós recomendávamos aos verdadeiros cristãos e católicos a não votarem em todo e qualquer partido e candidato que fossem contrários aos princípios cristãos e católicos, mormente aqueles que dizem respeito à lei Natural que é lei de Deus positiva.

Acrescentávamos que não deviam dar o seu voto à Sra. Dilma Rousseff, pois o partido a que a mesma pertence, o PT, é francamente favorável à liberação total do aborto. Senão, vejamos:


01- Aos 11 de abril de 2005, o governo Lula comprometeu-se a legalizar o aborto no Brasil, assinando o Segundo Relatório do Brasil sobre o Tratado de Direitos Civis e Políticos, apresentado ao Comitê de Direitos Humanos da ONU (nº 45) e, em agosto do mesmo ano, entregou ao Comitê da ONU para a eliminação de todas as formas de descriminalização contra mulher (CEDAW), documento no qual reconhece o aborto como Direito Humano da Mulher.


02- Em setembro de 2007, no seu IIIº Congresso Nacional, o PT assumiu a “descriminalização do aborto e a regulamentação do atendimento de todos os casos no serviço público, como programa de partido. E no dia 20 de fevereiro de 2010, no seu IVº Congresso Nacional, o PT manifestou “apoio incondicional” ao 3º Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3) editado pelo Presidente Lula, no final de 2009. O programa inclui entre outros temas, a defesa da descriminalização do aborto.


03 - O PT puniu os deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso por se recusarem a assinar o PL (projeto de lei) que tornava livre a prática do aborto...


04 - Mais recentemente, em 16 de julho de 2010 (no mês passado!!!), a Ministra Nilceia Freire, na linha da política do Senhor Presidente da República, propôs a liberação total do aborto em toda América Latina através do “Consenso de Brasília”.


05 -Chamam a nossa atenção as propostas de governo da candidata à Presidência, que alteram a linguagem mas não alteram o conteúdo. Já apresentou três propostas de Governo, sendo que a segunda “maquia” a primeira, e a terceira “maquia” a segunda retirando tudo que pudesse deixar “transparecer” os objetivos de liberar o aborto, para não “prejudicar” sua candidatura. Há rumores de que, no próximo mês será anunciada uma “quarta” proposta...


06 - Para evitar desgastes na campanha de sua candidata, o Sr. Presidente “engaveta decisões sobre temas polêmicos” (Cf. Estado de São Paulo – 06/08/2010 – A7). Contrariamente a todos estes “ajustes” que tentam mascarar a verdade, o Evangelho nos manda: “ O seu Sim, seja Sim. O seu Não, seja Não”.(MT 5,37). Sem subterfúgios, sem máscaras, para não esconder a verdade...


07 –Sendo coerente com nossa profissão de Fé (o que, é evidente, não ocorre nesses “Planos de Governo”), reafirmamos tudo quanto já dissemos. Não temos receio de reafirmar, assinar e confirmar tudo quanto temos escrito. Não precisamos de “reformulações”...


08 - Apesar de 70% dos brasileiros e cristãos terem se manifestado contra a descriminalização do aborto, em pesquisa CNT/Sensus do início deste ano, os delegados do PT chegaram ao entendimento de que o partido deve dar “apoio incondicional ao programa PNDH-3 por considerar que ele é “fruto de intenso processo de participação social”. Ou seja, o PT está levando o país na contra mão da democracia reconquistada há pouco e com fadiga.


09 - Houve quem nos criticasse por termos tomado essa atitude, alegando que não tínhamos o direito de nos “intrometer” na política. A esses queremos lembrar que, num país democrático, como cidadão temos o direito de nos manifestar, a favor ou contra as pretensões de políticos.

10 - Como Bispo, temos a obrigação de alertar os fiéis para que escolham bem os partidos, os candidatos e suas propostas, para não votarem naqueles que sejam contra as Sagradas Escrituras, em especial em relação à vida: “Não Matarás” (Ex. 20,13; Dt. 5,17; Mt. 5,21).


11 – Agora é a hora da defesa da vida. Não podemos nos omitir. Repetindo Dom Henrique Soares, Bispo Auxiliar da Diocese de Aracaju: “É nosso dever de cristãos e de cidadãos procurar votar de modo consciente e esclarecido, pensando unicamente no bem comum...afinal, um voto pode nos mandar para o inferno: aqui, por quatro anos e, após a morte, por toda a eternidade!”]"

[site: http://www.diocesedeguarulhos.org.br/miolo.asp?fs=menu&seq=705&gid=10]

+ + +

NOTA DA COMISSÃO EPISCOPAL REPRESENTATIVA DO CONSELHO EPISCOPAL REGIONAL SUL 1 – CNBB



A Presidência e a Comissão Representativa dos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB, em sua Reunião ordinária, tendo já dado orientações e critérios claros para “VOTAR BEM”, acolhem e recomendam a ampla difusão do “APELO A TODOS OS BRASILEIROS E BRASILEIRAS” elaborado pela Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 que pode ser encontrado no seguinte endereço eletrônico “www.cnbbsul1.org.br”.

São Paulo, 26 de Agosto de 2010.

Dom Nelson Westrupp, scj
Presidente do CONSER-SUL 1

Dom Benedito Beni dos Santos
Vice-presidente do CONSER-SUL 1

Dom Airton José dos Santos
Secretário Geral do CONSER SUL 1

APELO A TODOS OS BRASILEIROS E BRASILEIRAS

Nós, participantes do 2º Encontro das Comissões Diocesanas em Defesa da Vida (CDDVs), organizado pela Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB e realizado em S. André no dia 03 de julho de 2010,


- considerando que, em abril de 2005, no IIº Relatório do Brasil sobre o Tratado de Direitos Civis e Políticos, apresentado ao Comitê de Direitos Humanos da ONU (nº 45) o atual governo comprometeu-se a legalizar o aborto,

- considerando que, em agosto de 2005, o atual governo entregou ao Comitê da ONU para a Eliminação de todas as Formas de Descriminalização contra a Mulher (CEDAW) documento no qual reconhece o aborto como Direito Humano da Mulher,

- considerando que, em setembro de 2005, através da Secretaria Especial de Polítíca das Mulheres, o atual governo apresentou ao Congresso um substitutivo do PL 1135/91, como resultado do trabalho da Comissão Tripartite, no qual é proposta a descriminalização do aborto até o nono mês de gravidez e por qualquer motivo, pois com a eliminação de todos os artigos do Código Penal, que o criminalizam, o aborto, em todos os casos, deixaria de ser crime,

- considerando que, em setembro de 2006, no plano de governo do 2º mandato do atual Presidente, ele reafirma, embora com linguagem velada, o compromisso de legalizar o aborto,

- considerando que, em setembro de 2007, no seu IIIº Congreso, o PT assumiu a descriminalização do aborto e o atendimento de todos os casos no serviço público como programa de partido, sendo o primeiro partido no Brasil a assumir este programa,
- considerando que, em setembro de 2009, o PT puniu os dois deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso por serem contrários à legalização do aborto,

- considerando como, com todas estas decisões a favor do aborto, o PT e o atual governo tornaram-se ativos colaboradores do Imperialismo Demográfico que está sendo imposto em nível mundial por Fundações Internacionais, as quais, sob o falacioso pretexto da defesa dos direitos reprodutivos e sexuais da mulher, e usando o falso rótulo de “aborto - problema de saúde pública”, estão implantando o controle demográfico mundial como moderna estratégia do capitalismo internacional,

- considerando que, em fevereiro de 2010, o IVº Congresso Nacional do PT manifestou apoio incondicional ao 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH3), decreto nª 7.037/09 de 21 de dezembro de 2009, assinado pelo atual Presidente e pela ministra da Casa Civil, no qual se reafirmou a descriminalização do aborto, dando assim continuidade e levando às últimas consequências esta política antinatalista de controle populacional, desumana, antisocial e contrária ao verdadeiro progresso do nosso País,

- considerando que este mesmo Congresso aclamou a própria ministra da Casa Civil como candidata oficial do Partido dos Trabalhadores para a Presidência da República,

- considerando enfim que, em junho de 2010, para impedir a investigação das origens do financiamento por parte de organizações internacionais para a legalização e a promoção do aborto no Brasil, o PT e as lideranças partidárias da base aliada boicotaram a criação da CPI do aborto que investigaria o assunto,

RECOMENDAMOS encarecidamente a todos os cidadãos e cidadãs brasileiros e brasileiras, em consonância com o art. 5º da Constituição Federal, que defende a inviolabilidade da vida humana e, conforme o Pacto de S. José da Costa Rica, desde a concepção, independentemente de sua convicções ideológicas ou religiosas, que, nas próximas eleições, deem seu voto somente a candidatos ou candidatas e partidos contrários à descriminalizacão do aborto.

Convidamos, outrossim, a todos para lerem o documento “Votar Bem” aprovado pela 73ª Assembléia dos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB, reunidos em Aparecida no dia 29 de junho de 2010 e verificarem as provas do que acima foi exposto no texto “A Contextualização da Defesa da Vida no Brasil” (http://www.cnbbsul1.org.br/arquivos/defesavidabrasil.pdf), elaborado pelas Comissões em Defesa da Vida das Dioceses de Guarulhos e Taubaté, ligadas à Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB, ambos disponíveis no site desse mesmo Regional.

COMISSÃO EM DEFESA DA VIDA DO REGIONAL SUL 1 DA CNBB

[site: http://www.cnbbsul1.org.br/index.php?link=news/read.php&id=5742]

+ + +

{Por Dom Henrique Soares da Costa, Bispo Auxiliar de Aracaju}

["(...)Há quatro critérios que ajudam muito a desmascarar o candidato. Desmascarar porque tira a máscara das palavras ilusórias e das imagens maquiadas. Ei-los:

1. A primeira coisa e a mais importante a ser observada é o passado do candidato. Ele é um candidato novo? Pois bem: de onde ele vem? Já tem algum trabalho realizado em prol da comunidade, participa de algum movimento, alguma entidade que trabalhe para o bem comum? Na sua profissão, como se comportou: foi competente, responsável, honesto? Seus conhecidos e colegas, o que dizem dele? Se ele já ocupou outros cargos, é ainda mais fácil avaliar o passado: ele honrou os mandatos anteriores? Como se portou? Saiu com fama de honesto ou de corrupto? Enriqueceu no exercício do seu mandato? O que ele fez de concreto: que programas em benefício do povo? Promoveu concursos públicos ou, ao invés, facilitou o empreguismo, que degenera os cofres públicos e traz a miséria para todos? Cumpriu durante o mandato as promessas feitas durante a campanha?

2. Um outro critério importantíssimo: quem são os componentes do grupo político daquele candidato. Aqui, vale o provérbio: “Dize-me com quem andas e dir-te-ei quem és”... Seus companheiros políticos são pessoas honradas, políticos que gozam de credibilidade, partidos que têm reais compromissos com o bem comum? Ou, ao invés, o grupo político parece mais uma corja? Afinal, recordemos que ninguém governa sozinho: meu grupo político fará parte do meu modo de exercer meu mandato!

3. Mais um critério importante: o modo que o candidato tem de fazer campanha. Está gastando demais? Se gasta muito, irá, depois, roubar os cofres públicos para repor o dinheiro esbanjado! Está comprando votos, dando dinheiro, prometendo empregos? Então, é corrupto já na campanha; imaginem quando chegar ao poder! Usa o nome de Deus ou da Igreja? Usa a fé do povo? Anda com a Bíblia debaixo do braço? Tudo isso, além de profanar o nome de Deus, de sua Igreja e de seus santos, é pura demagogia! É prova de leviandade do candidato – ele não merece o voto de uma pessoa séria e inteligente e que ame a Deus!

4. Quando ele promete, explica direitinho de onde vai tirar o dinheiro para cumprir as promessas? Porque se não explica, não vai cumprir nada: está prometendo o que não pode cumprir!

Então, não é impossível fazer uma boa avaliação dos candidatos. Basta que a gente procure realmente refletir com responsabilidade. Para um cristão realmente comprometido com o Evangelho, esta atitude é indispensável, pois a felicidade de muitos – sobretudo dos mais fracos – depende do meu voto. Ainda para um católico verdadeiro e consciente de sua fé e responsabilidade cidadã, é imoral e pecaminoso votar num candidato ao Senado ou à Câmara Federal que apóie a lei que permite o aborto ou a que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Do meu voto e do seu voto dependem também o inferno de toda uma sociedade (basta recordar um pouquinho os vários exemplos da nossa história).
E que ninguém, que tenha um grama de inteligência, diga que todos os políticos são iguais. Isso é desculpa esfarrapada para votar no pior! Há políticos de todos os modos, de todas as práticas e de todo o tipo de comportamento. É nosso dever de cristãos e de cidadãos procurar votar de modo consciente e esclarecido, pensando unicamente no bem comum... afinal, um voto pode nos mandar para o inferno: aqui, por quatro anos e, após a morte, por toda a eternidade!"]

[Site: http://pv.arquidiocesedearacaju.org/default.asp?pg=artigo&idArtigo=86]

+ + +

{Que nos diz a CNBB}


["(...)Por isso, incentivamos a que todos participem e expressem, através do voto ético, esclarecido e consciente, a sua cidadania nas próximas eleições, superando possíveis desencantos com a política, procurando eleger pessoas comprometidas com o respeito incondicional à vida, à família, à liberdade religiosa e à dignidade humana. Em particular, encorajamos os leigos e as leigas da nossa Igreja a que assumam ativamente seu papel de cidadãos colaborando na construção de um País melhor para todos.

Confiando na intercessão de Nossa Senhora Aparecida, invocamos as bênçãos de Deus para todo o Povo Brasileiro”."]

Brasília, 16 de setembro de 2010

P. nº 0762/10

Dom Geraldo Lyrio Rocha
Arcebispo de Mariana – MG
Presidente da CNBB

[site: http://www.cnbb.org.br/site/notas-e-declaracoes/4675-nota-da-cnbb-na-proximidade-das-eleicoes]

+ + +

Irmãos, como posso me dizer cristão, membro de pastoral e catequista se não abro aos olhos das ovelhas de Cristo que, como eu, buscam o Reino de Deus?

Não tenho medo de me enganar, pois sei em quem deposito toda minha Esperança.

Eudes Inacio, sJpVM


quarta-feira, 15 de setembro de 2010

COM CRISTO E EM CRISTO

Das Homilias de São João Crisóstomo, bispo

(Hom. De gloria in tribulationibus, 2.4:

PG 51, 158-159.162-164)

(Séc.IV)

Os sofrimentos e a glória dos mártires

Consideremos a sabedoria de Paulo. Que diz ele? Eu entendo que os sofrimentos do

tempo presente nem merecem ser comparados com a glória que deve ser revelada em

nós (Rm 8,18). Por que, exclama, me falais das feridas, dos tormentos, dos altares, dos

algozes, dos suplícios, da fome, do exílio, das privações, dos grilhões e das algemas?

Ainda que invoqueis todas as coisas que atormentam os homens, nada podeis mencionar

que esteja à altura daqueles prêmios, daquelas coroas, daquelas recompensas. Pois as

provações cessam com a vida presente, ao passo que a recompensa é imortal,

permanecendo para sempre.

Também isto insinuava o Apóstolo em outro lugar, quando dizia: O que no presente é

insignificante e momentânea tribulação (cf. 2Cor 4,17). Ele diminuía a quantidade pela

qualidade, e alivia a dureza pelo breve espaço de tempo. Como as tribulações que então

sofriam eram penosas e duras por natureza, Paulo se serve de sua brevidade para

diminuir-lhe a dureza, dizendo: O que no presente é insignificante e momentânea

tribulação, acarreta para nós uma glória eterna e incomensurável. E isso acontece,

porque voltamos os nossos olhares para as coisas invisíveis e não para as coisas

visíveis. Pois o que é visível é passageiro, mas o que é invisível é eterno (cf. 2Cor 4,17-

18).

Vede como é grande a glória que acompanha a tribulação! Vós mesmos sois

testemunhas do que dizemos. Antes mesmo que os mártires tenham recebido as

recompensas, os prêmios, as coroas, enquanto ainda se vão transformando em pó e

cinza, já acorremos com entusiasmo para honrá-los, convocando uma assembléia

espiritual, proclamando o seu triunfo, exaltando o sangue que derramaram, os

tormentos, os golpes, as aflições e as angústias que sofreram. Assim, as próprias

tribulações são para eles uma fonte de glória, mesmo antes da recompensa final.

Tendo refletido sobre estas coisas, irmãos caríssimos, suportemos generosamente todas

as adversidades que sobrevierem. Se Deus as permite, é porque são úteis para nós. Não

percamos a esperança nem a coragem, prostrados pelo peso dos sofrimentos, mas

resistamos com fortaleza e demos graças a Deus pelos benefícios que nos concedeu.

Deste modo, depois de gozarmos dos seus dons na vida presente, alcançaremos os bens

da vida futura, pela graça, misericórdia e bondade de nosso Senhor Jesus Cristo. A ele

pertencem a glória e o poder, com o Espírito Santo, agora e sempre e pelos séculos.

Amém.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

PARA QUÊ NASCEMOS, EXISTIMOS E SOMOS?

Caros irmãos e irmãs,

Nascemos (nossa 1ª vocação, a vida) para o Amor (nossa 2ª vocação, ser cristão) e n'Ele sermos felizes (nossa 3ª vocação, a felicidade).

Nossas famílias já não têm referenciais como outrora. Renegamos nossos antepassados por culpa deste sistema global de escravidão em que o inimigo, príncipe deste mundo, ensina-nos má-formações contrárias às virtudes cristãs.

  • O Senhor nos ensina o Amor; o sistema, ao que vença o mais forte.
  • O Senhor nos ensina que não há maior prova de amor que dar a vida; o sistema, que não devemos procriar porque não temos o suficiente para dar de comer, de vestir, nem educar.
  • O Senhor nos ensina a não matar; o sistema, a pena de morte e ao aborto como "nossos direitos".
  • O Senhor nos ensina a não adulterar; o sistema, que a Igreja é retrógrada - mesmo tendo sido o próprio Filho de Deus Quem nos disse a Verdade.
  • O Senhor nos ensina que Ele é a Verdade; o sistema, que a verdade é relativa - assim como tudo, exceto o que o próprio sistema nos impõe.
  • O Senhor nos ensina a dar ao próximo; o sistema, a mandar o pedinte ao trabalho, porque se não ele se acostuma e não contribui com o sistema e não obtém o selo (ver Ap 13,16-17).
Irmãos, insisto em Cristo Jesus, não nos contentemos com este mundo: sua glória passa, suas moedas imundas passam; todos passaremos, só a Palavra, o Verbo de Deus, não passará!

Enquanto duvidamos da Graça, que é o Espírito, gemeremos esperando a redenção.

Tenhamos a coragem de nos abandonarmos inteiramente ao Espírito que, por nós, pede, vindo em auxílio às nossas fraquezas.

Paulo, servo do Senhor, já dizia aos cristãos de Roma, uma Capital de Império que oprimia e trucidava a qualquer um que se dissesse crente no Senhor, que todas as coisas concorrem para o bem dos seus eleitos. Não me refiro à prosperidade nestas terras, até porque o príncipe delas é o inimigo dos filhos e filhas de Deus; refiro-me à Esperança.

Não permitamos que os luxos, a usura, a sensualidade, a ganância (que é idolatria!), a inveja, as fofocas, as pompas nem a televisão nos separem do Amor, (+)nosso Senhor Jesus Cristo.

Tenho eu que recordar que quando Paulo escreveu isto falou em espada e humilhação e morte, porque eram esses os perigos dos nosso antecessores, daqueles que eram devorados por animais no meio do povo?

Pois bem, animemo-nos n'Ele e n'Ele exultemos porque grande é a Sua Misericórdia.

+ + +
Eudes Inacio, sJpVM
servo de Jesus pela Virgem Maria

A NÓIA = DIABO

Caros irmãos e irmãs,

Em Cristo, nossa força, o consolo do Espírito Santo.

Nestas idas e vindas na Pastoral da Juventude e antes dela, como liderança de jovens, tenho visto a presença (não figurada) do inimigo na nóia (no crack, como seja): desuamanizando-nos, descaracterizando-nos como os filhos de Deus, humilhando-nos como se fôssemos nada - literalmente, nada!-.

Confesso: escrevo com os olhos turvos este triste relato.

O inimigo se aproxima e já está aqui! Não vem disfarçado, vem de cara limpa, o miserável. Afronta-nos com seu rugido e nós lhe cedemos espaço (em nossas vidas, nossas famílias, nossos amigos - até os de caminhada...).

É triste constatar nossa fuga mediante o desespero, o pavor, o medo. Nossa ignorância nos arremete à escotomização dessa realidade de onde quer que venha, onde quer que esteja.

Valei-me, Miguel, Arcanjo corajoso que já derrotou aquele (derrotado) que teima em capturar mais almas para sua castração total.

Virgem Santíssima, que com Teu silêncio inundas o mundo de Sabedoria, já derrotas-Te a serpente calcando-lhe a cabeça, roga a Teu Filho, (+)nosso Senhor Jesus Cristo que venha, que venha.

Em Cristo, espero, confio e vivo, que hei de ver, de pé, a total derrocada daquele verme! E, se preciso for, ainda de pé, lutarei até a última gota de meu sangue para vê-lo banido para sempre.

Maran athá!!!

+ + +
Eudes Inacio, sJpVM
servo de JESUS pela VIRGEM MARIA

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

PENSAR GLOBAL, AGIR LOCAL

Caros irmãos e irmãs,

Salve Maria!

Há certas obrigações que nos levam ao outro, ao desconhecido, à alienação. Sim, alienação.

Porque, sempre ir ao outro é sempre alienação e, diante dele (o outro) somos sempre alienados.

Refiro-me a todas as atividades cujo objetivo seja o convencimento, a aquisição do entendimento do outro ou sua aceitação de ideias.

Nunca foi fácil. E a gratificação é sempre alienada ou alienante.

Em evangelização ou em catequese, a chave para o outro é sempre a Ação do Espírito Santo.

(continuarei...)

ORAÇÃO DE ENTREGA

Senhor,

Nada temo senão a Ti.
Teu sou.
Usa-me conforme Teus desígnios.
Não peço Graças grandiosas,
Somente a de eu entender Tua Vontade
Para que eu, por motivo nenhum, tente me esquivar.

Toma minha boca, meus pés, minhas mãos.
Faze o que quiseres.

Confio, Senhor, e em Ti somente espero.
Que eu não seja confundido.
Estou em Tuas mãos.
Fica comigo.

Sabes que sou pequenino
E de pequenina compreensão.

Que eu saiba zelar pelos dons que me confiate;
Animar-me em Ti e, em Ti, sentir-me capaz.

Sabes o que sinto.
Apenas me entrego e confio.
Sem Ti, para nada existo.

Vem, Espírito Santo!

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

MEU SENHOR ESPÍRITO SANTO

Caros irmãos e irmãs,

Ele está no meio de nós. Aleluia!

A Quem me refiro acima? Quem está no meio de nós?

Pensou no Cristo, claro! Mas não bem exatamente a Quem me refiro.

Falo do Senhor Espírito Santo. D'Aquele que no Antigo (ou 1º) Testamento era o vento que Deus soprou sobre a terra (Gn 8,1); como nuvem e fogo (Nm 9,15-16) sobre Seu povo e sobre o tabernáculo; ainda como óleo para consagrar e se infundir no coração humano (Lv 8,12; 1Sm 16,1.13). Nesses textos, Ele se utiliza de inanimados.

Não é minha intenção tratar de uma Pneumatologia profunda, mas da constatação que o Senhor Espírito Santo se derrama sobre aqueles de Sua pertença (Is 11,2; 42,1; Jl 3,1-2)

sábado, 4 de setembro de 2010

SENHOR ESPÍRITO SANTO

Senhor Espírito Santo,
que me animais e conduzis,
sede minha semre minha coragem,
minha capacidade de realizar-Vos
no meio dos meus irmãos.

Tomai minhas mãos,
meus pés,
minha boca,
todo meu ser.

Fazei do meu corpo Vosso instrumento;
minha vontade, Vossa morada.
Amém!

EM TEMPOS DE DESERTO

REAVIVA O DOM QUE HÁ EM TI *

O tempo presente é uma realidade que nos inquieta e interpela. "Não vos conformeis com este mundo..." (Rm. 12,2).

Adentrar-se no deserto, através de uma experiência de Deus, é dispor o coração para esvaziar-se de tudo que não é Deus. A própria condição física do deserto, de per si, já nos esvazia. Diante de sua imensidão que nos fascina, experimentamos a incapacidade de nos dirigir, de determinarmos nossa própria trilha. Somos pouco a pouco levados à consciência de que nada podemos fazer sem um auxílio necessário. Necessitamos conhecer as leis do deserto para nos aventurarmos nele. Ele se nos apresenta sempre mais forte e poderoso. Há um amém que deve ser pronunciado à vontade de Deus no chão da fé, como ponto de partida para nossa aventura no deserto.

Nele experimentamos o nosso nada, e todas as falsas seguranças começam a perder sua consistência. Também as falsas imagens que temos de Deus e aquelas que fazemos de nós mesmos e da realidade, começam a se diluir. Lembremo-nos do encontro de Elias com Deus no Monte Horeb, no coração do deserto. (1Rs. 19, 9-14). Ele é levado a livrar-se de idéias pré-concebidas de Deus e da realidade e, no encontro com o totalmente outro, reconstrói-se a si mesmo e é impelido a tocar a vida no ritmo de Deus. No deserto Deus não pode ser manipulado, Ele se nos revela na eterna surpresa de sua presença e nos proporciona a capacidade de refazermos as imagens pré-concebidas que temos sobre Ele e nos abrirmos corajosamente para o novo que nos espera.

O esvaziamento que o Deserto provoca em nós, conduz-nos a uma nova e surpreendente visão da realidade e da história. Começamos a enxergar o mundo com os olhos de Deus. Nossa relação com Deus, com os nossos semelhantes e com as coisas criadas adquire uma nova dinâmica: experimentamos o amor misericordioso de Deus para conosco e nos tornamos mais humanos e amorosos em nossas relações com todo ser humano criado à imagem e semelhança de Deus. O deserto exerce o poder de dar consistência aos ideais e atitudes que sustentam a nossa vida, proporcionando-nos a capacidade de respondermos aos apelos e desafios que a realidade com a qual interagimos nos impõe.

* Por Dom Antonio Muniz Fernandes, O. Carm., Arcebispo Metropolitano de Maceió

(retirado do site: http://www.arquidiocesedemaceio.org.br/voz-da-igreja/dom-antonio-muniz/7/reaviva-o-dom-de-deus-que-ha-em-ti)