segunda-feira, 2 de agosto de 2010

CELEBRANDO A PALAVRA


Ontem, recebi uma telefonema da "cura" da Capela de São Dom Bosco que me convidava a fazer a Celebrção da Palavra; respondi que teria que pedir permissão ao Padre Ernesto (o pároco) e ela dissera que ele já consentiria. Liguei para ele para confirmar: realmente ele permitira e orientara assim. Aceitei o convite para esse Momento a ser iniciado às 16h.

Das 14h às 15h30min, permaneci na Matriz de Nossa Senhora das Graças para uma formação de Catequese com o generoso irmão seminarista Carlos. De lá, parti para a segunda missão: a Celebração da Palavra - pela 1ª vez, sozinho.

Lá, fui bem acolhido; cumpri minha missão nervoso mas sereno (vai entender!...).

No comentário às Escrituras para o 18º Domingo do Tempo Comum, falei da importância de abraçarmos as coisas do alto; que a ganância é idolatria; que tudo que se interpõe entre nós e Deus é idolatria; que quando permitimos que alguém ou alguma coisa se coloque entre nós e Deus, significa que ainda não compreendemos o que Cristo nos diz; que devemos valorizar as nossas coisas de cristãos, e o sermos cristãos; que devemos fazer Sinal da Cruz, rezar Ave-Maria e ensinar as crianças a rezarem; que vaidade vai além de colocar objetos - entra no contexto de nos acharmos suficientes belos e inteligentes a ponto de ignorarmos a necessidade e a ação de Deus em nossa vida; que nós tocamos a Divindade quando comungamos, que somos especiais por isso - que toda Eucaristia é momento santo aqui e no Céu; e, por fim, que se realmente quisermos alcançar as coisas do alto, devemos mais nos prostrar diante de nosso Senhor: quanto mais de joelhos, mais deitados e reconhecedores da necessidade de Deus, mais alto iremos - quanto mais baixo nos pusermos, mais alto iremos.

Após, veio a parte mais importante da Celebração - a Comunhão.

Ao final, elogiaram-me (um perigo para o ego! Confesso, sem falsa modéstia, isso me incomoda.) e pedi que rezassem por mim.

Irmãos e irmãs em Cristo que socorre até aqueles que, no arroubo de andar sobre as águas, afundam.

Salve Maria Imaculada!

A experiência de fazer a Celebração da Palavra é maravilhosa. Saí de casa já extasiado pela oportunidade. Estar no altar, falar ao Povo de Deus, próximo ao Senhor, estar ali pela Igreja, na Igreja, como Igreja é ímpar!

Contudo, nada do que fiz substitui a Santa Missa com um Sacerdote, alguém que tem as mãos ungidas por um apóstolo de Cristo.

Rezemos todos os dias por nossos sacerdotes e ministros ordenados.

Rezem, em especial, por seu pároco, qual como seja, rezem!

Rezem por seu Bispo, qual como faça, rezem!

Rezem por seu diácono, qual como esteja, rezem!

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo por nos dar os Sacramentos por meio de seus Ministros oficiais desde os Apóstolos!

+ + +
Eudes Inacio, sJpVM

Nenhum comentário: