domingo, 18 de julho de 2010

RELIGIÃO x POLÍTICA

Caros irmãos e irmãs,

Ao cristão, Cristo. É o apelo mais convencional para todos que se dizem cristãos, principalmente nestes dias em que vivemos apelos aos presentes, às compras, ao uso, ao descarte, à reciclagem, à vida sem problemas.

Tomemos cuidado com os venenos que este mundo nos tem sugerido como necessários à nossa felicidade.

Somos culpados por votarmos em indivíduos violentos, não-cristãos, sem-noção, anti-éticos. E o que é que isso gera?

Vejamos um exemplo:

Quem liberou e estimula os bancos a emprestarem à vontade e a tarifarem à vontade?

Quem permite propagandas que estimulam a degeneração e asfixia das famílias?

Quem estimula a venda de remédios e preservativos e também apóia ao aborto?

Quem nos taxa, nos tarifa e nos cobra impostos?

Quem recebe 20 salários mínimos e diz não poder aumentar o salário mínimo de simples funcionários?

Quem? Quem?

Nosso voto tem consequências. O cristão não tem o direito de vender ou comprar voto.

Estamos vivendo ainda a ditadura do "separar Política de Religião" ou "Religião e Política não se discutem".

Vivemos à sombra de erros passados há séculos. Pois, desde o século XVIII, vem-se pregando a separação da Religião do Estado - a criação do Estado laico. (sic! piada).

Nós católicos temos sido orientados há anos a não nos envolver com política; e o que isso tem gerado? Omissão, descaso, sacrilégios e apostasias.

Como podemos permitir que se criem leis contra os valores e a opinião da maioria dos brasileiros?: casamento entre homossexuais, "direito" ao aborto,...

Este Estado que vivemos é "laico" e queria tirar os crucifixos das paredes. Daqui a pouco nos proibirá de falarmos em Jesus Cristo em público para "não ofender a liberdade religiosa" (sic!).

Advirto: tantas e quantas vezes nós vivermos e fizermos só para nós, cometeremos idolatria. Julgar que o melhor para o homem é o homem é um absurdo inconcebíbel!

Nós católicos ficamos apáticos às eleições enquanto os inimigos da Igreja se tornam deputados e senadores e nos armam ciladas. Protestantes e ateus se fortalecem enquanto dizemos "odeio esse negoço de política!"... Que é que é isso? Até quando vamos esperar que nossos algozes tirem a sorte sobre nós e nossos bens?

Já bastaram os enganos dos séculos passados. Agora é hora de cristão católico se interessar por Política!

Tomemos os exemplos bíblicos de Neemias 5,1-12 e I Sm 8,4-20 e vejamos como para o povo de Deus sempre a Religião inferiu na Política.

A Religião é o apelo de Deus; na Política, o apelo toma forma de resposta.


Lembremos: Se tiramos os olhos da Cruz, começamos a idolatrar.
+ + +
Eudes Inacio, sJpVM

Nenhum comentário: