terça-feira, 4 de maio de 2010

Mártires

A história cristã está cheia de relatos de tantos homens, mulheres e crianças que derramaram seu sangue, deram suas vidas para que hoje pudéssemos conhecer a Fé Cristã.

Por outro lado, hoje em dia há tantos de nós que pouco valoriza o sangue dos Mártires, o Sangue do Cristo... Muitos de nós que escandalizam, toleram o paganismo da moda, da mídia, do prazer; fazem pouco caso do Sacrifício Eucarístico... muitos de nós que preferem a religião do zen, do mamon, à religião da Cruz, do jejum, da abstinência e do 6° Mandamento (e dos outros Mandamentos também)... Muitos de nós que emporcalham o nome CRISTÃO.

Vejamos o que fez Carpo, no Séc. III, para preservar o nome que alguns de nós emporcalham:

Martírio de Carpo

No tempo do imperador Décio, Ótimus era procônsul em Pérgamo; o bem-aventurado Carpo, bispo de Gados, e o diácono Papilo de Tiatira, ambos confessores de Cristo, compareceram diante dele.

O procônsul disse a Carpo:

- Qual é o teu nome?

- O meu primeiro nome, o mais belo, é Cristão. O meu nome no mundo é Carpo.

- Conheces os editos de César que vos obrigam a sacrificar aos deuses, senhores do mundo, não é verdade? Ordeno-te que te aproximes e que ofereças um sacrifício.

- Eu sou cristão. Adoro Cristo, Filho de Deus, que veio à terra nestes últimos tempos para nos salvar e nos livrar das armadilhas do demônio. Não vou por isso sacrificar a esses ídolos.

- Sacrifica aos deuses, como ordena o imperador.

- Morram os deuses que não criaram o céu nem a terra.

- Sacrifica como quer o imperador.

- Os vivos não sacrificam aos mortos...

- Então tu crês que os deuses estão mortos?

- Certamente. E vê como: eles assemelham-se a homens, mas estão imóveis. Deixa de os cobrir de honras; como eles não se mexem, os cães e os corvos virão cobri-los de esterco.

- Basta sacrificar. Tem piedade de ti mesmo!

- É mesmo por isso que eu escolho a melhor parte.

A estas palavras, o procônsul mandou que o pendurassem... e lhe rasgassem o corpo com unhas de ferro...

(In: padrehenrique.com)

É verdade!... "morram os deuses que não criaram o céu e a terra." E o que estamos fazendo? Por causa de dinheiro, sexo e objetos, nós trocamos Deus.

Mas Carpo preferiu a morte: "... por isso que eu escolho a melhor parte."

Morramos para o mundo. Não há mais mártires nesta sociedade porque a maioria de nós prefere cultuar o paganismo, "ir na onda", "deixando a vida nos levar", calar, abafar, fingir que é assim mesmo e que nada vai mudar, ou que "se Cristo não deu jeito, eu vou poder dar?"

Cristão que não é perseguido pelo mundo, é porque já pertence ao mundo. É duro ouvir isso? Mas foi o Senhor que disse em Jo 17,14.

Enquanto buscarmos essa religião de paz de cemitério, aquela que não acontece nada, nada nos atinge, nada de mal nos ocorre, tipo "corpo-fechado", será sempre diferente daquela que fala em Mt 5,11 e em Mt 10,38.

Tenhamos a coragem para viver com os olhos voltados para Cruz que o mundo odeia, como Paulo falava em 1Cor 1,18-25 e em Fl 1,21.

Como disse Cirineu Kubn em sua canção:
(...)Pai nosso, dos mártires, dos torturados.
Teu nome é santificado naqueles que morrem defendendo a vida,
Teu nome é glorificado, quando a justiça é nossa medida...
(...)Queremos fazer Tua vontade, és o verdadeiro Deus libertador,
Não vamos seguir as doutrinas corrompidas pelo poder opressor.
(...)Perdoa-nos quando por medo ficamos calados diante da morte,
Perdoa e destrói os reinos em que a corrupção é mais forte.

+ + +
Eudes Inacio, sJpVM

Nenhum comentário: